Caleidoscópio

Caleidoscópio
Pequenos fragmentos de vidro colorido, luz, espelhos, movimento, imagens: Olhares da Arte

domingo, 5 de junho de 2011

Leitura de Imagem: Escher

Escolha uma das  imagens de Escher e faça a leitura de imagem de acordo com os itens abaixo:
Harmonia, proporção, distorção, simetria, movimento, profundidade e ritmo.
Atividade individual , assine o nome e sobrenome. Valor da atividade: 1, 5

                                                                               ESCHER 1


      ESCHER 2


             ESCHER 3



 ESCHER 4


 ESCHER 5


 ESCHER 6

  ESCHER 7



 ESCHER 8


 ESCHER 9


 ESCHER 10


 ESCHER 11


  ESCHER 12

 ESCHER 13

                                               
postagem até 10 de maio de 2011

73 comentários:

  1. Escher 09: É uma obra que apresenta harmonia entre cada cisne, proporção entre a distância de cada um deles em cada linha, distorção da figura das aves, simetria no contorno do desenho e movimento (os cisnes parecem voar). Além disso, nota-se que a imagem apresenta algumas idéias matemáticas e físicas.
    Nome: Ianka Araújo Almeida
    Turma:102

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Escher 3: A obra apresenta harmonia entre cada sapo, o autor nao usa cores vivas, ele opta por usar cores mais escuras, mas que combinam entre si. Há uma proporção nessa imagem,os sapos estão juntos e são todos do mesmo tamanho e mesma largura. Tem uma certa distorção entre os sapos. O tipo de simetria é a simetria de rotação, pois os sapos sao girados ao redor de um ponto. Os sapos parecem estar andando, virando de um lado para o outro,em um mesmo ritmo. Se olharmos rápido para a imagem, parece que os sapos verdes são a grama, e os cinzas são,realmente,os sapos.
    Nome: Samira Silva Vieira
    Turma: 201

    ResponderExcluir
  4. ESCHER 6
    A figura é bastante harmonica ja que as figuras se encaixam e combinam, as imagens sao propocionais,a simetria da tela é baseda na reflexao com uma imagem sendo refletida em pontos. Com a presenca de figuras de diferentes tamanhos a obra apresenta certa profundidade. O ritmo é causado pelas cores fortes.

    Emily Leite 200

    ResponderExcluir
  5. ESCHER 1: A obra apresenta um ritmo alternado, um equilíbrio entre as duas figuras apresentadas, e uma harmonia de cores complementares claras e escuras. É possível observar o movimento dos pássaros e dos peixes. Não é possível observar profundidade mas pode-se ver claramente a simetria e a proporção entre os elementos

    Priscila Biciati - 201

    ResponderExcluir
  6. ESCHER 4

    Há muita harmonia e proporção na imagem. A imagem tambem aparenta movimento, mostrado atraves do voo dos pássaros e ao mesmo tempo é como se o piso, estivesse saindo do chao e indo de encontro aos pássaros. É uma imagem simétrica. Podemos perceber também, a profundidade na imagem.

    Júlia Leite - 100

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. ESCHER 11:

    A transformação da bidimensionalidade na tridimensionalidde implícita nas primeiras gravuras de metamorfose, só no fim deste período aparece explicita na estampa Colunas Dóricas (1945).
    A parte inferior da coluna da esquerda sugere o, espaço, a três dimensões, de um pesado objecto de pedra. Na realidade, porém, não passa de um pouco de tinta de impressão sobre uma folha de papel. É pois, de facto, uma tira de papel plana que, dobrada em três partes, foi entalada entre o topo e o capitel da coluna da direita.
    Mas o mesmo acontece com a coluna da direita: observada de cima, ela parece volumosa, mas vista de baixo, vê-se que é uma fita colocada sobre o chão e sobre a qual assenta a coluna da esquerda.


    Guilherme Martins - 202

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. ESCHER 6
    Esta obra é de tal forma simétrica que é bem possível notarmos um certo ritmo em seus constituintes, devemos analisar que Escher fez o uso de uma Simetria de Rotação.
    O "leitor" da imagem pode observar um fato muito interessante, ao mesmo tempo em que aparece 3 espécies de animais, observando apenas 1 espécie, as demais denotam alguns elementos naturais, como por exemplo o animal de tonalidade azul se observado de relance poderemos ver água sendo constituída.
    É também notável uma certa proporção na imagem, ora, se esta não fosse de certa forma evidente, não teríamos um enquadramento tão perfeito da harmonia.
    É igualmente notável o que o Autor quis nos mostrar que é um padrão evolutivo, onde os 3 animais representados são: peixes, anfíbios e aves. Onde a evoluçao é um fator predominante e cada animal tem a cor bem definida devido ao lugar de origem, exemplo: peixe= verde, originário de rios e lagos; anfíbios= marrons, originários de ambientes terrestres; aves= azuis, originárias de ambientes como o mar, rios, e predominantes no ar.
    Devemos nos atentar quanto a perspicácia de Escher, uma vez que suas obras são de importancias ímpares, ora a simetria aí empregado mostra o quão a utilização das formas, cores, profundidades, espessuras,...
    podem proporcionar obras incríveis e de certa forma que interagem com o que o "leitor" pensa.

    Roberth Wagner da Silva Júnior. Turma: 202

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. ESCHER 5

    Pode ser observado uma harmonia entre os peixes, uma certa proporçao entre eles(um certo alinhamento), ritimo que é observado com a movimentaçao dos peixes, onde há um encontro de um peixe com o outro. Uma simetria onde os peixes parecem estar posicionados aleatoriamente, porem, cada uma esta localizada na mesma (e exata) forma.( Simetria de Reflexão com Deslizamento)

    CHRYSTIAN MENESES-202

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. ESCHER 4: Essa é uma obra que apresenta harmonia entre os albatrozes e o chão, fazendo com que unam-se, havendo um equilíbrio entre o céu com os albatrozes e o chão quadriculado. A simetria é marcada pelo contraste da cor clara e a escura. É possível ver a proporção na imagem, juntamente com a simetria que é a de reflexão. O ritmo na obra é percebido juntamente com seu movimento, onde há o encontro dos pássaros e do piso, uma vez que há a mistura de ambos, dando impressão de movimento. A imagem possui profundidade que é evidenciada com o rio, que vai afinando-se. A distorção é causada em nosso cérebro, causando uma ilusão de óptica.

    Álicy Caroline - 202

    ResponderExcluir
  17. Escher 6:

    A obra apresenta uma harmonia e simetria como é característico do estilo adotado por Mauritus Cornelis Escher. Suas gravuras possuem efeitos de ilusão de óptica, com muita perspectiva, regras geométricas e inigualável técnica. Escher consegue misturar matemática e arte de tal maneita a pregar "peças" no cérebro do espectador.
    No caso da figura em questão, é possível indentificar a Simetria de Rotação, que vem acompanhada da utilização de cores distintas, que marcam cada "ser" projetado na pintura, além da geometria, do modelado, da forma e do tamanho, que possibilitam a identificação de cada elemento da obra.
    Essas técnicas ainda permitem ao espectador momentos de raciocinio e reflexão, buscando o entendimento copleto da obra, possibilitando uma interação entre o artista e o espectador.

    Keven Henrique - 202

    ResponderExcluir
  18. Escher 6:a tela apresenta harmonia em suas cores; as proporções entre os desenhos são perfeitos e iguais; a distorção da imagem faz com que o observador ilude,imaginando outras imagens na tela ; a simetria apresentada é a de rotação;por causa da simetria imaginamos que as figuras estão em movimento;o contraste entre as cores e a presença de tons fortes da mesma cor faz criar uma profundidade nas figuras apresentadas; e a ilusão de um ritmo é criado pela simetria da tela.
    Nome: Bruna Yuki
    Turma:102

    ResponderExcluir
  19. ESCHER 8: Na imagem 8, é possível reparar que a harmonia entre as 'faixas', assim como sua disposição, proporcionam a criação da imagem do rosto de um ser humano.
    Seu cabelo também se assemelha ao formato das nuvens, e graças à sua tonalidade mais escura podemos diferenciá-lo dessas.
    A disposição das faixas dá também a ideia de movimento, relacionando-se com os outros planos da imagem, como por exemplo as nuvens.
    Uma das características marcantes de Escher é como ele consegue associar a simetria ao infinito, como o desenho das nuvens no fundo da imagem, que diminuem e preenchem a imagem até o seu término.
    Repara-se também que é presente a simetria de translação, já que a imagem se 'desenrola' em parcelas paralelas à si.

    Nome: Júlia Crespo Caldeira Monari
    Turma: 202

    ResponderExcluir
  20. Escher 10

    A simetria utilizada e a de rotação,utilizando também a ideia do número infinito de geometria não euclidiana onde a imagem começa maior e vai ficando menor e em maior número,parecendo ter sido desenvolvida de baixo para cima, a imagem tem profundidade porém e nas laterais, e na pintura, Escher, mistura cores quentes com frias. As linhas brancas se cruzam e dividem a tela em fragmentos.

    Miryam Cristina - 202

    ResponderExcluir
  21. Escher 4

    Esta obra de MC Escher, Dia e Noite, mostra uma importande influência dos mosaicos mouros, resumindo-se em positivo-negativo em formas geométricas.Com dia e noite, forma-se paisagens como imagens de espelho; as aves brancas se fundem para formar um céu de verão na esquerda, enquanto na direita os pássaros pretos se misturam para criar um céu noturno. A harmonia está grandiosamente presente.
    Ela foi feita a partir de dois blocos de madeira e tinta preta. No centro inferior, dois caminhos se cruzam em um ângulo de 90 graus. À esquerda, vemos campos, construções agrícolas e um moinho de vento, e um canal do rio. Há uma cidade ao norte do canal com uma ponte sobre o rio, levando a um outro grupo de estradas, campos e canais. Este é o lado do dia. À direita, vemos as mesmas coisas, só deste lado é noite. Estas peças dão a impressão de serem simétricas por reflexão.
    A segunda linha de campos cinza começa a olhar como as cabeças de aves, e como se movem para cima, transformam-se em pássaros reais, pássaros brancos que voam para a direita e os pássaros pretos que voam para a esquerda, causando uma leve distorção, dando-lhe ritmo e movimento.
    No centro da gravura, dois canais parecem estar prestes a se encontrar, mas que a confluência não é mostrado porque ele está por trás das aves. Acima desses dois canais, há impressão de parecer voltar à simetria. O centro da impressão parece levantar-se em um ângulo para a terra, como se fosse em um eixo fixado em cerca de 45 graus em relação ao plano da terra na impressão. Ela dá um forte senso de elevador, uma corrente ascendente, como seria de esperar a experiência com as aves.Esses dois detalhes nos remete a uma visão de profundidade.
    Dia e Noite é uma combinação de elementos líricos. As aves voam a partir do plano de azulejos e entram em ações ou em sonhos.

    Vítor Silva de Almeida 202

    ResponderExcluir
  22. Escher 9- A obra "Anel de Moebius com Pássaros" apresenta harmonia entre as aves. Nela foi utilizado no centro certa simetria de reflexão e a medida que fosse se afastando do centro foi utilizado uma técnica que permitiu um sentimento de profundidade ao analisar a obra. As cores preto e branco utilizadas dão um ritmo de "movimento das aves" na imagem e nas bordas dão um sentimento de distorção,onde as aves parecem estar mudando de direção.

    Henrique Savelli Abelha Gomes 200

    ResponderExcluir
  23. ESCHER 9
    Na obra de número 9 podemos observar que o artista utiliza a simetria de reflexão com deslizamento e usa combinações e repetições de forma única, criando formas em diferentes dimensões. Escher usa um circuito fechado, utilizando de harmonia e precisão. Na minha opinião é a obra mais interessante entre as 13, pois permite ao observador uma série de conclusões. Pode-se observar que os cisnes formam uma espécie de ciclo, onde é possível reparar que a frente do cisne é alva e atrás sua cor é sombria, dando uma ideia de dualidade. Também, a forma que os cisnes adquirem juntos é o símbolo do infinito, no qual podemos basear o conceito de ciclo, interminável. À primeira vista temos a impressão de que os cisnes estão "mergulhando" no ar, no mesmo ritmo. E à primeira vista temos a impressão de que a imagem se move diante dos nossos olhos.

    Ayla Dominato Castro 202

    ResponderExcluir
  24. ECHER 4: Apresenta ritmo alterado nas aves e na figura que se assemelha a um tabuleiro de xadrez. O equilíbrio, esta nas aves. Harmonia, presente nas cores escolhidas presentes na obra, o preto e a branca. Perspectiva também presente nas cores pretas e brancas, no tamanho e na nitidez das aves. A obra proporciona diferentes interpretações cada vez que a observamos, pois Echer faz o uso do jogo de imagens para que desperte no espectador maior proximidade a obra, a ilusões de ótica que a imagem gera consegue prende-lo.

    Rayane Guetler
    Turma:202

    ResponderExcluir
  25. ESCHER 6
    Demonstra o uso de cores chamativas que caracterizam a obra como real e traz movimento e profundidade a tela de maneira com que as cores e desenhos se combinam.O efeito causado pela copia de imagens iguais em ângulos diferentes é a reflexão com deslizamento que combina uma reflexão com uma translação ao longo do sentido da linha do espelho.

    ResponderExcluir
  26. ESCHER 4;
    Nesta obra percebe-se que o quadriculado do chão vai se transformando nos albatrozes que estão voando daí, vê-se que, esta é a harmonia da obra, entre esses dois elementos. Percebe-se também, ao analisarmos o encontro dos dois elementos supracitados, o ritmo desta e, aonde também é visível perceber a sua simetria de reflexão. Nela, também pode ser percebido o contraste do preto e branco, a impressão de movimento na transformação do chão em albatroz e sua dimensão em profundidade em relação ao rio que vai se afinando, causando a impressão de longa distancia.

    Nome: Marco Túlio-202

    ResponderExcluir
  27. ESCHER 6
    utiliza a técnica da rotação, com cores quentes e frias, de forma bem harmônica e simétrica. Diferentes formas que dão a tela uma proporção bem diferente.
    Gabriela Sena 202

    ResponderExcluir
  28. Escher 4

    Nesta obra de Escher percebe-se a Translação, um movimento simétrico no qual uma figura desliza sobre uma determinada reta, sem se alterar. O que pode ser percebido também é a brincadeira do jogo de cores, alternando entre o preto e branco, relacionando ao dia e noite, como o próprio nome da obra (Day anda Night) já mostra, torando-a harmônica.
    Assim como na maioria da obras do pintor temos a ilusão de ótica presente nesta. O chão que vai se desmanchando e se transformando em pássaros, representando a libertação e ligando uma cena na outra, basicamente assim é representada uma das incríveis obras, Day and Night, de Escher.

    Evelyn Josiane - 201

    ResponderExcluir
  29. Na obra de Escher 6 está presente a simetria e harmonia com animais e água. Podemos identificar a ilusão de óptica e a simetria de rotação, pois toda a figura gira em torno de um ponto que esta na figura sendo que cada ponto da figura percorre um ângulo com vértice neste ponto. E estas características proporcionam um entendimento completo da obra.
    Todos esses recursos nos permitem ver a profundidade da obra, a geometria, a espessura, as cores fortes que nos permitem interagir com a obra.

    Isabela Bessa 202

    ResponderExcluir
  30. Escher 12: A obra não apresenta simetria entre os elementos mas tem-se uma noção clara do uso de profundidade no uso do sombreado preto dando a impressão de que estamos entrando por um espaço infinito por entre as colunas retratadas na obra. É uma obra harmoniosa tanto no jogo de cores como no uso dos elementos, já que os elementos coexistem entre si sem uma distinção muito grande.

    Letícia Paiva 201

    ResponderExcluir
  31. A obra de Escher, de número 1, possui uma harmonia entre as cores preto e amarelo. A simetria existe na forma de translação e a profundidade é obtida através do contraste entre ambas as cores, havendo um ritmo e proporção na obra, através da interação presente entre as figuras.

    Marielle 201

    ResponderExcluir
  32. Escher 3: A simetria está presente na obra por meio da translação. As cores preto e branco são harmônicas entre si e seu contraste permite a noção de profundidade e movimento das figuras.
    Giovanna Mendes - 201

    ResponderExcluir
  33. Escher 2
    A partir de uma malha de polígonos, regulares ou não, Escher fazia mudanças. Assim surgiram figuras de homens, peixes, aves, lagartos, todos envolvidos de tal forma que nenhum poderia mais se mexer. Tudo representado num plano bidimensional,seu trabalho explora o espaço. Escher brincava com o fato de ter que representar o espaço, que é tridimensional, num plano bidimensional, como a folha de papel. Um dos temas recorrentes da obra de Escher é a sobreposição de vários espaços sobre uma mesma imagem. Paradoxalmente somos convidados a ver dois mundos diferentes num único lugar e ao mesmo tempo.A figura é bastante harmônica,já que os elementos se integram para realizar um todo coerente,possui uma distorção entre os peixes e as aves.O ritmo é criado pelo entrelaçamento entre os peixes e as aves,sendo expresso matematicamente. Uma folha desenrola-se para dar ideia de movimento•O artifício do volume, claro-escuro, faz parecerem pássaros de verdade e não desenhos. A simetria ocorre quando é possível encontrar, para qualquer figura, pelo menos uma transformação geométrica diferente da transformação idêntica, que a deixe invariante, isto é, alguns ou todos os pontos da figura podem mudar de posição, mas a figura, como um todo, fica a mesma. Essa obra possui uma simetria de translação, a figura "desliza" sobre uma reta, mantendo-se inalterada.A obra é simples,mas apresenta complexidade geométrica e proporcionalidade.
    Marcela Peixoto - 200

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. escher10:a obra explora um conceito de infinito e bidimensão não havendo a presença da profundidade , conceito muito marcante entre outras obras famosas de Escher.Além disso a imegem mostra o interesse de Escher em pavimentações hiperbólica, que são um uniforme de um plano com polígonos, de modo que um igual número de polígonos idênticos se encontram em cada vértice.A obra apesar de assimetrica através da distorção e proporção dos elementos da obra cria uma harmonia e ritmo entre os próprios elementos presentes na imagem que mexe com a imaginação do observador.
    Vandressa Souza - 200

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Obra escolhida: Limite Circular III (Escher 10)

    Nessa obra, Escher representa um número infinito, em que o mesmo formato em todas as componentes não permite mais do que a
    reprodução de um fragmento de uma divisão
    regular da superfície. Assim, ele reduz gradualmente o tamanho das figuras até alcançar, o limite do formato infinitamente pequeno. Utiliza também a simetria de rotação, que consiste na transformação de uma figura que obtemos girando cada um de seus pontos segundo um "arco" de "circunferência" ao redor de um ponto percorrendo um determinado "ângulo".
    A área de cada elemento deste padrão, que diminui ao passo que caminha para as regiões periféricas, é sistemática e continuamente reduzida a metade, sendo que em teoria se pode alcançar não só o formato infinitamente pequeno, como também o número infinitamente grande.
    Linhas circulares brancas intersectam-se e dividem-se em fragmentos, que têm sempre o comprimento dum peixe. Elas indicam os trajetos em que se movem fileiras de peixes, desde os infinitamente pequenos, passando por um tamanho máximo, até infinitamente pequenos. Cada fileira contém só peixes duma cor. São necessárias pelo menos quatro cores, de forma a que as fileiras se distingam umas das outras.

    André Correa de Oliveira (202)

    ResponderExcluir
  38. ESCHER 6
    Foi aplicado cores fortes e tranquilizantes, formas diferentes e simétricas foram usadas na obra pela na técnica de rotação.

    Carolina Campos Maia 201

    ResponderExcluir
  39. Escher 6: Essa imagem composta por polígonos, se desdobra, ao mesmo tempo, em aves, lagartos e peixes, garantindo a imobilidade de tais, já que se encaixam perfeitamente. Apresentando harmonia e simetria com a utilização de cores fortes, que nos permite distinguir cada animal utilizado por Escher, dando-nos sensação de profundidade, ritmo e movimento.

    Samantha Silva Neves 200

    ResponderExcluir
  40. Escher 4 foi a última gravura, que pertence já ao ciclo das composições dedicadas ao tema metamorfoses.Escher nos faz questionar, em sua obra, sobre a limitação de nossa percepção diante a impossibilidade da coexistência da diferença, ou seja, o que nos parece impossível nas imagens de Escher é a existência simultânea do diferente, sem hierarquia espacial e temporal, sem um início e fim.A ligação entre realidade e ilusão proposta por ele nos remete a construções surrealistas. Porém não é um surrealismo que nos deixa num enigma, ao contrário, nos explicita a solução desse enigma.Outros elementos observados na obra de Escher são o paradoxo e a repetição.
    Uma grande parte da obra de Escher está relacionada com esta sobre-sugestão do espaço.
    Em sintese a obra de Escher é caracterizada pela reflexão, perspectiva, repetições, paradoxos, divisão de superfícies, metamorfose, aproximação ao infinito: registros de uma vida.A arte de Escher é uma vida dada à glorificação da realidade.
    Campos cinzentos retangulares evoluem para cima, em silhuetas de aves brancas e pretas. Como duas formações de sentido contrário, voam as pretas para a esquerda e as brancas para a direita. No lado esquerdo fundem-se as brancas umas nas outras e formam céu e paisagem de dia. Do lado direito, unem-se as pretas na noite
    Rayssa Almeida - 201

    ResponderExcluir
  41. Escher 12 (Um Outro Mundo I)

    A figura é desenvolvida com perspectiva linear com 1 ponto de fuga, situado no centro da imagem, dando uma sensação de movimento, profundidade e infinito. Não há simetria, mas percebe-se que o pássaro e o peixe são iguais, mudando apenas a posição, que varia em cada lado. Há também um ritmo, já que estas janelas se repetem infinitamente.

    ResponderExcluir
  42. Escher 5
    O autor da obra não abusa das cores mas cria uma harmonia usando apenas dois tons um amarelo e um tom terroso, sua tela apresenta certa simetria e é constituido de varios peixes que preenchem tudo, os peixes têm duas formas diferentes que apresentam certa ligação um com o outro. Esses peixes também parecem se mexer e se mexem para lados diferentes cada um deles

    Bárbara-202

    ResponderExcluir
  43. Escher 9:
    Os cisnes são revestidos com muita precisão, e apresentam a mesma distância entre os cisnes adjacentes e os cisnes da linha seguinte. Eles estão em um circuito fechado, uma construção possível com recursividade, dando uma ideia de movimento. Escher faz uso da harmonia entre os cisnes e simetria entre os contornos do desenho fazendo com que os cisnes pareçam voar. Escher faz uso de ideias matemáticas e físicas e mostra uma proporção entre os cisnes de cada linha.
    Aluna: Natália Drumond
    Turma: 202

    ResponderExcluir
  44. Escher 4:
    Na obra de Escher podemos observar que ele utiliza relações matemáticas entre formas, figuras e do espaço. Além disso, ele explorou o bloqueio figuras usando preto e branco para realçar as diferentes dimensões. Integrado em suas estampas eram imagens de espelho de cones, esferas, cubos, anéis e espirais.
    Além de explorar o conflito existente entre o branco representando o dia e o preto representando a noite,a simetria foi usada somente no desenho sendo quis causar contraste na imagem!
    Nome:Quézia Dutra Ferreira
    Turma:200

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. ESCHER 7:
    Podemos observar que em sua obra, Escher cria harmonia ao repetir o desenho diversas vezes, porém o mesmo é parcialmente simétrico por translação, pois além das cores alternarem em preto e branco, a obra apresenta uma espécie de progressão, na qual se olharmos bem da direita para a esquerda ou vise-versa é notável que pequenos traços foram acrescentados fazendo-nos confundir pássaros e peixes, algo comum em suas obras.
    Carolina Menezes - 200

    ResponderExcluir
  47. Escher 3:
    Nessa obra, o autor usa de simetria de tranlação. Ele usa o sapo com diversas posições, dualidade de cores, preto e cinza, promovendo um contraste e uma certa ilusão de ótica, em que o visualisador da obra observa de diferentes maneiras, e sob diversas perspectivas e apresenta harmonia entre seus elementos.
    Alice Mello Brandão
    turma 201

    ResponderExcluir
  48. Escher 01:
    Na obra podemos observar que há simetria através da técnica de rotação. São apresentadas duas figuras de animais: o peixe e o pássaro, que se alternam e suas cores dão um contraste na tela. A tela não apresenta perspectiva, mas há harmonia.
    LUCIANA MORANDI DE OLIVEIRA - 200

    ResponderExcluir
  49. Escher 01
    Existe uma simetria onde foram usados a tecnica de rotação.Os animais como o peixe e o passaro fazem uma simetria tambem nas cores e nas formas.

    ResponderExcluir
  50. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  51. Escher 4 :
    A obra de MC Escher,Dia e Noite, apresenta ritmo e movimento devido o encontro entre o piso quadriculado e os pássaros na parte superior.Além disso a proporção e a simetria de reflexão usadas pelo autor da obra são evidentes.
    Há o contraste de forma harmônica que divide o cenário nas cores preta e branca, a presença da profundidade ( que pode ser notada no afinamento do rio),e um jogo de ilusão de ótica.
    Amanda Campos -200

    ResponderExcluir
  52. Escher 9 : É uma obra harmoniosa , com proporções bastante certas e bem encaixadas as peças( nesse caso o cisne ) uma a outra . Não é uma obra simetrica, pois se dividimos ao meio , não ficará exatamente igual . Possui bastante movimento, profundidade e ritmo. Se seguirmos o fluxo da obra poderemos ver claramente o movimento e ritmo que ela tem. E tem profundidade, tanto que podemos enxergar na frente passaros brancos, mas quando reparada bem detalhadamente, vemos que a obra possiu aluns cisnes pretos.

    JASMININ GRACIANO OLIVEIRA - TURMA 202

    ResponderExcluir
  53. ESCHER 4: A imagem possui ritmo com suas formas sendo repetidas na intenção de formar uma imagem, profundidade de luz e sombra, tamanho, quando uma forma geométrica esta por cima de outra maior, nitidez ao escurecer certa parte da imagem e perspectiva. Seu equilíbrio é retratado nos passaros que voam por cima da cidade que é retratada através de uma tabua de xadrez, sua harmonia é trasmitida pelas cores preto e branco, onde o autor faz um jogo com as cores, clarando ou escurecendo a imagem passando a impressão de distância.

    Turma:202
    Aluna:Luiza de Oliveira Samari Silva

    ResponderExcluir
  54. ESCHER 5 - Nesta obra a técica escolhida é a simetria por translação. São utilizados para compor a obra dois tipos diferentes de figuras que se encaixam, o que a faz ser proporcional. As cores são fortes e possuem contraste apesar de não serem cores vivas. O quadro é bem detalhado e nos dá uma leve impressão de movimento, como se as figuras retratadas estivessem nadando de modo organizado.

    Rayza Luisa - 202

    ResponderExcluir
  55. Escher 06 : A tela é bastante harmoniosa e se da de uma forma em que as cores causam impacto e despertam interesse. A imagem é dotada de ilusão de óptica, com muita perspectiva e distorção entre os elementos. Ao fitar a obra por muito tempo é capaz de ter várias leituras diferentes e uma branda sensação de movimento. A simetria é a de rotação, bastante intensa e perfeita. A obra é de ótima qualidade e é capaz de causar um conflito interno por parte do leitor, levando a diferentes e inúmeras leituras.
    Lucas Salgado
    TURMA : 200

    ResponderExcluir
  56. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  57. Escher 5

    Há harmonia nessa imagem, pois existe também uma proporçao entre os peixes, pois eles estão alinhados. Cada peixe se encontra com o outro, assim formando um ritmo. Há uma simetria
    de reflexão com deslizamento, onde os peixes parecem estar em posições distintas, mas na verdade sao de formas iguais,levando em conta que a imagem apresenta 2 peixes diferentes, os quais se encaixam uns nos outros.

    Júlio César - 201

    ResponderExcluir
  58. Leitura de imagem


    analise da imagem Escher 4:

    Campos cinzentos retangulares evoluem para cima, em silhuetas de aves brancas e pretas. Como duas formações de sentido contrário,
    voam as pretas para a esquerda e as brancas para a direita. No lado esquerdo fundem-se
    as brancas umas nas outras e formam o céu e paisagem de dia. Do lado direito, unem-se as pretas na noite. A paisagem do dia e da noite
    são imagens refletidas uma da outra, ligadas por campos cinzentos, dos quais aves evoluem novamente.

    Igor Ramalho T-200

    ResponderExcluir
  59. Leitura de imagem

    analise da imagem Escher 10



    Linhas circulares brancas interseptam-se e dividem-se em fragmentos, que têm sempre o comprimento de um peixe. Elas indicam os trajetos em que se movem fileiras de peixes, desde os infinitamente pequenos, passando por um tamanho máximo, até infinitamente pequenos. Cada fileira contém só peixes de uma cor. São necessárias pelo menos quatro cores, de forma a que as fileiras se distingam umas das outras.



    Bruno Morais T-200

    ResponderExcluir
  60. Leitura de imagem

    analise da imagem Escher 11


    A parte
    inferior da coluna da esquerda sugere
    o espaço, a três dimensões, de um
    pesado objeto de pedra. Na realidade,
    porém, não passa de um pouco de tinta
    de impressão sobre uma folha de papel.
    É pois, de fato, uma tira de papel
    plana que, dobrada em três partes, foi
    entalada entre o topo e o capitel da
    coluna da direita.
    Mas o mesmo
    acontece com a coluna da direita:
    observada de cima, ela parece
    volumosa, mas vista de baixo, vê-se
    que é uma fita colocada sobre o chão e
    sobre a qual assenta a coluna da
    esquerda.


    Eric Magalhães T-200

    ResponderExcluir
  61. Escher 3- o autor fez a simetria de translaçao.Utilizou o sapos dando uma ilusão de otica e profundidade usando o preto e cinza.apresentando harmonia e dualidade de cores.

    Thiessa - 200

    ResponderExcluir
  62. Leitura da obra escher 12:

    Na figura apresentada, Escher mostra, de
    diferentes ângulos em um mesmo desenho, uma espécie de pássaro com cabeça de homem. Por meio desse desenho podemos entender que há várias formas de olhar esse pássaro-homem, e que, a cada vez que é lançado um olhar diferente, o vemos de outro ângulo: ora por cima, ora por baixo, ora da direita para a esquerda, ora da esquerda para a direita. De qualquer forma, ele nos mostra que não há uma única forma de olhar esse pássaro-homem, pois vários podem ser os pontos de vista. O mesmo ocorre com um fato ou um acontecimento, pode-se observá-lo de diferentes ângulos.

    Thiago Bretas T-200

    ResponderExcluir
  63. Escher 9:
    Há harmonia na obra, as peças se encaixam bem umas nas outras e existe uma proporção. Não há uma simetria clara na obra. O movimento é bem retratado, pois temos a impressão de os cisnes estarem circulando, assim proporcionando um ritmo. Ela possui também profundidade, ao interior da obra temos os cisnes brancos e pretos dando voltas.

    Ana Luiza, turma 201

    ResponderExcluir
  64. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  65. Leitura da obra de escher 9:
    Escher combina recursão e repetição padrão de uma forma única. Nota-se que os cisnes são revestidas com muita precisão, com a mesma distância de cisnes adjacentes e cisnes na linha seguinte. Nota-se também que eles estão em um circuito fechado, uma construção possível com recursividade.As cores preto e branco utilizadas dão um ritmo de "movimento das aves" na imagem e o sentido de distorção.

    Luiza Gardingo
    Turma:200

    ResponderExcluir
  66. Hal, Sinthia! Lembro de você, sim.
    Uma boa surpresa saber que se tornou uma estudiosa da arte.
    Anota aí meu mail: qravelli@gmail.com
    Meu msn: quinhoravelli@hotmail.com
    Abraço grande

    ResponderExcluir
  67. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  68. ESCHER 1: o obra de Escher tem um equilibrio simetrico entre os animais representados, alternando o ritmo entre eles, além da simetria, é notável a harmonia e proporção dos elementos, percebendo que os pássaros e peixes se mechem de maneira que percebemos as características citadas

    Vitor Natanael, turma 202

    ResponderExcluir
  69. marcelo domingues disse...
    ESCHER 11: A obra colunas dóricas de escher demontra um inrivel trabalho onde percebemos que as colunas tem um certo ar de tridimensionalidade na obra , onde a posição das colunas pode ser vistas de várias formas .

    Marcelo Domingues , turma 202

    ResponderExcluir
  70. ESCHER 12: A obra "Another World" mostra as diferenças de perspectiva de um mesmo espaço alterando o ângulo de visão de uma imagem de quatro maneiras diferentes.

    Douglas Dias - T: 202

    ResponderExcluir
  71. Escher 13: A obra possui simetria axial, permitindo-nos perceber melhor o eixo de simetria a partir da linha de figura que há entre ela e o uso das cores preto e branco. A obra passa ideia de profundidade, pois percebemos em uma linha continua e cada vez mais proxima de nós um objeto se dobrando como se tivesse vindo em nossa direçao dividindo os dois lados da figura

    Amanda Dornellas - 201

    ResponderExcluir
  72. Escher 3:Esta obra de Escher mostra harmonia entre todos os sapos, o autor usa cores fortes e neutras que tem assim como os sapos uma certa harmonia entre elas. A proporção é que todos os sapos estão juntos são do mesmo tamanho,a simetria é de rotação pois eles giram em volta de um ponto. Os sapos parecem estar em movimento, andando em vários sentidos.
    Thais de Almeida Neves T:202

    ResponderExcluir
  73. Escher 3: A simetria está presente na obra por meio da translação. As cores preto e branco são harmônicas entre si e seu contraste permite a noção de profundidade e movimento das figuras

    ResponderExcluir